Rádio Líder Online de Acopiara

ACOPIARA-CE: RESPEITO É BOM E NÓS GOSTAMOS

24 DE JULHO, DOMINGO
Quando Lajes, Afonso Pena e Acopiara foram invadidas por ilustres homens e mulheres de outros estados, e municípios do interior cearense, houve uma explosão de alegria, por parte dos que aqui habitavam, e sabedores que aquelas pessoas iriam dar o pontapé inicial para o progresso da terra do lavrador. Era preciso dinamitar ás pedras aqui existente, criando um mapa de subidas e descidas na história política, econômica e religiosa de nossa terra. Foram muitas figuras ilustres que aqui desceram no labirinto da antiga estação vindos de diversos lugares, e que foram recebidos com a maestria de nossa hospitalidade e de nossa inteligência, pois sabíamos que precisaríamos deles para iniciarmos a nossa vida, e a construção de nosso progresso social. Posso citar inúmeras delas, suas aptidões, do mais simples até o mais altivo, sem tirar a altivez do mais simples. Desde o clã Pereira da Silva, conhecidos por "Os Lajes", até João Uchoa de Albuquerque, nosso último líder. Posso seguramente passar por Celso Castro de Oliveira, Pedro Alves, Jairo Alves, Dr. Gentil Domingues, Miguel Galdino de Oliveira, Dr. Ezequiel, Evandro Marques, Zé Marques, Totoinho Moreira, Emídio Calixto, Francisco Alves Sobrinho, Alfredo Nunes de Melo,  Dr. Tibúrcio Valeriano Soares Diniz, e tantos outros...Celso Castro, nosso primeiro prefeito veio do Icó, berço dos canela- preta, das amoras de Portugal, sangue dos Moreiras e Teixeiras. Dr. Tibúrcio de Serra Talhada em Pernambuco, Miguel Galdino de Oliveira de Saboeiro, Dr. Gentil Domingues de Catarina, e tantos e tantos outros homens que mesmo em lugares opostos da política local, lavavam suas roupas sujas aqui, e daqui não saia. Não estou escrevendo aqui, a história política de minha terra, pois são inúmeras, ás passagens históricas ou não, recaídas sobre essa figuras, que de um modo ou de outro contribuíram para nosso surgimento. Não gosto de macular a imagem dos que aqui chegam e comem em nosso prato, saboreando nossa hospitalidade, nossa amizade, mas também não gosto de ver pessoas que estão no nosso meio, agredindo acopiarense em meio de comunicação, e em redes sociais. É inadmissível, e tem que se tomar uma providência séria, para determinados agressores de fora, que se acham no direito de provocar nossos filhos de sangue, antes que aconteça algo mais sério, pois somos seres humanos movidos a emoção, e não a frieza do insensato. Não se admite pessoas que hoje chegam de outros estados, e outros municípios, e até políticos de Brasília, e da capital, tentar jogar filho contra filho desta terra. Nós somos calmos, tenros, educados e aceitamos até um determinado ponto, ou assistimos até quando nosso irmão de sangue vai aguentar,  mas tenham a certeza, gargantas vendidas que são, e que passam de mão em mão na tentativa da sobrevivência, e sem nenhuma honra, nós estamos unidos e unidos permaneceremos até o fim, respeitem-nos, e nós os respeitaremos, maculem a imagem de nossas famílias e com certeza não admitiremos esse mal estar politiqueiro que querem implantar em nossa legítima terra. Por Carlos Dehon 


Lava Jato atinge obras do governo paulista

:
Procurador-geral de Justiça do Ministério Público de São Paulo, Gianpaolo Poggio Smanio, afirmou que o MP está recebendo do Ministério Público Federal (MPF) informações da Operação Lava Jato que atingem obras da administração Geraldo Alckmin (PSDB); "Nós já atuamos com o MPF, já temos recebido e fornecido informações. E fizemos também convênios com a Receita Federal e o TCE", disse Smanio; Lava Jato já sabe que empreiteira Andrade Gutierrez fez repasses de R$ 45 milhões de três grandes obras do governo de Geraldo Alckmin (PSDB) a empresas de fachada usadas para o pagamento de propinas; entre as obras estão; entre as obras estão o a Linha 2 – Verde do Metrô de São Paulo e o Rodoanel Mário Covas

A hipótese do golpe dentro do golpe


:

"Por que meios Eduardo Cunha pode derrubar o segundo presidente? Há dois caminhos. Através da ação que tramita no TSE, presidido pelo ministro Gilmar Mendes, de notórios pendores tucanos, pedindo a cassação da chapa Dilma-Temer completa. O autor da ação é o PSDB. Ou através do impeachment de Temer, em caso de uma denúncia grave e sólida que fosse feita por Eduardo Cunha", diz a colunista Tereza Cruvinel; a eventual queda do vice, diz ela, abriria caminho para uma eleição indireta no Congresso Nacional, o que seria, segundo ela, o cenário dos sonhos do PSDB; "Parece coisa de república bananeira mas na letra da lei, é possível"

ALCKMIN PERDOA DÍVIDA DE R$ 116 MILHÕES DA ALSTOM

:
Acusada de integrar um cartel e de pagar propina a agentes políticos em governos do PSDB, a multinacional francesa Alstom teve perdoadas dívidas que somam R$ 116 milhões pelo governo de Geraldo Alckmin (PSDB); benção foi dada em acordo entre o governo e a empresa em um contrato com o Metrô que previa aquisição de um sistema digital para diminuir o intervalo entre os trens, de modo a agilizar o transporte dos passageiros; sistema foi contratado em 2008, no governo de José Serra (PSDB), atual ministro de Relações Exteriores, por R$ 780 milhões; governo também Alckmin aceitou que o sistema seja entregue até 2021, com dez anos de atraso

OMBUDSMAN: FOLHA ERROU E PERSISTIU NO ERRO COM SUA PESQUISA PRÓ-TEMER

:
Uma semana depois do maior erro da história do Datafolha e da própria Folha, que apontou que 50% querem a permanência do interino Michel Temer quando o número real é de apenas 19%, a ombudsman Paula Cesarino Costa apontou que o jornal, editado por Sérgio Dávila, errou e persistiu no erro; "A reação pouco transparente, lenta e de quase desprezo às falhas e omissões apontadas maculou a imagem da Folha e de seu instituto de pesquisas", diz ela; Paula, no entanto, não tocou no ponto central: o erro parece ter sido deliberado para favorecer o impeachment da presidente Dilma Rousseff e manter no poder um presidente impopular, que promete impor uma agenda de reformas econômicas defendida pelos donos da Folha

TEMER PEDE MODERAÇÃO NOS PROTESTOS E FAZ APELO PARA FICAR NO PODER

(Cínico)
Ciente de que será alvo de manifestações pedindo sua saída no próximo dia 31 e durante a Rio 2016, o interino Michel Temer pediu moderação nos protestos e fez também um apelo aos senadores para que consiga se manter no poder até 2018; "O Estado democrático de Direito garante manifestações livres entre os contrários, respeitados os direitos e deveres dos indivíduos e as normas de civilidade. A postura de cautela e moderação é a mais adequada", disse ele; "Estamos assistindo ao pleno funcionamento das instituições nacionais. Deixemos que os senadores, sob a égide de suas prerrogativas, tomem a decisão que julgarem conveniente ao nosso futuro"; pesquisas revelam que 62% dos brasileiros defendem sua renúncia e a realização de novas eleições

Há 154 anos nascia o advogado, escritor e filósofo cearense Farias Brito


CRB cede empate nos acréscimos e deixa vice-liderança para o Ceará


foto série b 2016 paysandu 2x2 crb

Após passar pouco mais de uma hora na vice-liderança da Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol, quando marcou o primeiro gol aos 29 minutos do primeiro tempo (Olívio), o CRB cedeu o empate diante do Paysandu, na noite desse sábado (23), no estádio Curuzu, em Belém, ao sofrer o empate nos acréscimos do segundo tempo. A equipe alagoana ainda abriu 2 a 0 no placar, aos 22 minutos da segunda etapa (Neto Baiano), mas não segurou a pressão do time paraense, que diminuiu aos 37 minutos (Leandro Cearense, em cobrança de pênalti) e empatou nos acréscimos com gol de Domingues.Com o resultado, o CRB ficou em terceiro lugar na tabela de classificação, cedendo a vice-liderança para o Ceará. O time alagoano volta a campo na sexta-feira (29), diante do Brasil de Pelotas, no estádio Rei Pelé, em Maceió, enquanto o Paysandu enfrenta o Vila Nova (GO), no sábado (30), em Belém.

G20 – Itália diz que todas as economias crescerão menos pós-Brexit

No primeiro dia da reunião de ministros do G20, que ocorre nesse sábado (23) em Chengdu, na China, a principal pauta foi a saída da Grã-Bretanha da União Europeia (Brexit).
“Falamos muito do Brexit. Foi dito que, por um lado, o choque inicial foi bem absorvido pelos mercados, melhor do que se esperava. Mas, as consequências a médio prazo ainda estão pouco claras, até porque não se sabe quando será instaurado o processo de negociação entre a Grã-Bretanha e a União Europeia”, informou o ministro da Economia da Itália, Pier Carlo Padoan.
De acordo com o ministro italiano, a situação indefinida faz com que os ministros “saibam ainda menos o que pode acontecer nos cenários futuros”, principalmente porque, além do Brexit, as “economias mundiais crescerão menos”.
“Há outro elemento negativo porque todas as economias crescerão menos. É possível reagir acelerando os processos de reformas, acelerando as estratégias para o crescimento nos quais há tanto reformas estruturais bem como as macroeconômicas”, concluiu Padoan.
(Agência Brasil)

Governo Temer: Mansão para rico, arrocho para o trabalhador


size_810_16_9_o-vice-presidente-michel-temer-em-brasilia-em-05-05

Da Coluna Valdemar Menezes, no O POVO deste domingo (24):
Para quem achava retórica a afirmação de que a derrubada de Dilma foi arquitetada para substituir o modelo econômico social desenvolvimentista e inclusivo (que beneficiava os segmentos mais pobres da população) por outro, do mercado, que favorece os mais ricos, o Planalto acaba de dissipar qualquer dúvida. Basta ver o anúncio da suspensão das contratações do programa de moradia Minha Casa, Minha Vida e a ampliação do financiamento, em até R$ 3 milhões, para imóveis destinados aos mais ricos (programa batizado, ironicamente, de Minha Mansão, Minha Vida, pelo escritor Marcelo Rubens Paiva).
É o retrato cabal do que significa o modelo econômico neoliberal e excludente. A própria Folha de S.Paulo tratou de colocar isso às claras, na última quinta-feira, no editorial “Casa para quem pode”: “A trajetória de redução do déficit nacional de moradias foi interrompida (…) Será restrito, por anos à frente, o espaço orçamentário para que o programa oficial volte a conceder, em larga escala, subsídios quase integrais a seus beneficiários.” Só quando a esquerda, um dia, voltar ao poder – dizem os especialistas.
O governo Temer também mal se contém para iniciar o corte de direitos trabalhistas, garantidos atualmente pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Está apenas aguardando o desfecho do impeachment da presidente Dilma Rousseff.
O ministro interino do Trabalho, Ronaldo Nogueira, anunciou que Temer vai enviar ao Congresso até o final do ano três propostas na área trabalhista: 1) “atualização” da CLT; 2) regulamentação da terceirização e 3) a transformação do PPE (Programa de Proteção ao Emprego) em algo permanente.
A palavra de ordem é negociação coletiva, com abertura da possibilidade de flexibilização da jornada e salário. Ora, numa situação de crise e sem o escudo da CLT, o empregador terá faca e queijo nas mãos. Só quem poderia esboçar alguma reação seriam, talvez, as categorias com sindicatos fortes (uma minoria).
Com a terceirização, é de se esperar redução de salário, precarização do emprego (com alta rotatividade e facilitação extrema da demissão) e o aumento da jornada de trabalho. Uma beleza.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...